Home  |   Eventos  |   Notícias  |   Novidades  |   Receitas  |   Tempo  |   Custo de Produção  

  Meio Ambiente  |   Utilinks  |   Planejamento  |   Prêmios  |   Contate-nos  
Laranja
CITROS

Home
Laranja
Custos de Produção
Pragas dos citrus
Cancro cítrico
CVC
Leprose
Ferrugem
Minadora
Furão
Ortézia
Rubelose
Notícias

Greening

Vídeos

Vetor

Sintoma

Controle

 

 

ORIGEM - as plantas cítricas ( Laranjas,Limoeiros, tangerineiras, pomeleiros, cidreiras, toranjeiras, etc. ) são originárias das regiões úmidas tropicais e subtropicais do continente asiático e ilhas adjacentes.No Brasil as citrinas foram , sem dúvida, introduzidas pelas primeiras expedições colonizadoras, provavelmente na Bahia; tanto assim que em 1540 já existiam laranjais espalhados pelo nosso litoral, de norte a sul.

O Brasil é atualmente, o maior produtor mundial de citros, seguido pelos Estados Unidos. A cultura encontra-se disseminada  por todo  o território nacional, com grande importância econômica e social para diversos estados onde se situa entre as dez principais culturas: São Paulo, Sergipe, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Bahia.

 

CLIMA E SOLO - O clima como condicionante do cultivo dos citros interfere de forma decisiva em todas as etapas da cultura.Tem influência na adaptação das variedades;no comportamento fenológico , como na abertura floral; na curva de maturação, na taxa de crescimento; nas características físicas e químicas da fruta e, principalmente no potencial de produção.

Temperatura e Crescimento Vegetativo - A maioria das espécies cítricas reduz sensivelmente o metabolismo com temperaturas entre 12 e 13º C e quase o paralisa a 5º C. Acima de 12º C a taxa de crescimento aumenta progressivamente, até atingir um máximo entre 25 e 31º C. Acima de 31º C  a taxa de crescimento decresce gradativamente até 36º C e, praticamente, cessa entre os limites de 38 a 40º C ( REUTHER,1973).

Sob temperaturas iguais ou superiores a 36º C a taxa de respiração é maior do que a fotossíntese. O aquecimento excessivo das folhas destrói a clorofila , bloqueia a translocação da água, impedindo o atendimento à demanda hídrica e desorganiza o balanço nutricional da  planta.

 

SOLO - O solo além de funcionar como substrato no qual as plantas se apoiam através do sistema radicular, serve também como reservatório de nutrientes, de água e de oxigênio e , em alguns casos, de compostos  perniciosos ao pleno desenvolvimento da plantas, ou de materiais restritivos ao enraizamento.

Há portanto, uma íntima relação entre o solo de um lado,com todo o somatório de atributos que lhe confere um determinado comportamento e de outro a planta, também com toda a sua soma de atributos específicos.

Como corolário dessa relação, destaca-se a importância de se conhecer adequadamente esse volume de terra, chamado solo. A planta cítrica irá crescer, produzir e viver,muito ou pouco, dependendo daquelas relações e de como se manejou o solo no sentido de diminuir, ou eliminar, suas restrições ou administrar suas qualidades. Em suma um adequado conhecimento do solo permite:

- escolher judiciosamente o local adequado para instalação da cultura;

- reconhecer e delimitar  áreas necessitadas de drenagem e auxiliar no dimensionamento das obras;

- reconhecer e delimitar solos carentes de adubos e corretivos e, em consequência, planejar adequadamente o emprego desses insumos;

- reconhecer e delimitar áreas mais carentes de irrigação dentro de uma mesma região climática;

- estabelecer planejamento conservacionista racional;

- em suma, planejar e manejar adequadamente a exploração citrícola.

 

VARIEDADES COPAS DE VALOR COMERCIAL - Existe um número muito grande de variedades cítricas cultivadas comercialmente nos países produtores de todo o mundo. São elas: laranjas, tangerinas, limões, limas,pomelos,cidras e cunquates. Em algumas regiões do globo são ainda cultivadas, para fins comerciais, as toranjas,a laranja azeda e o calamondin.

Entre as variedades de laranja mais amplamente cultivadas destacam-se: Valência, Baía, Hamlin,Shamouti, Pêra e Calabresa.

Como Variedades de laranja sem acidez existem: Sucreña, Dolce,Lima,Piralima e outras.

As laranjas sanguíneas são cultivadas comercialmente em alguns países da região mediterrânea. Sua coloração avermelhada deve-se ao desenvolvimento de pigmentos do tipo antocianina.

Tangerinas - As tangerinas, ou mandarinas, constituem o segundo grupo de frutas cítricas pela importância. Entre as principais variedades cultivadas comercialmente estão estão as satsumas ( 90% da citricultura do Japão), Mexerica clementina, Poncã, Dancy, Cravo e muitas outras.

Limões - São utilizados principalmente no preparo de limonadas, em confecções culinárias e como aromatizantes.São conhecidas mais de 50 variedades de limões, cultivadas nas diferentes áreas do globo. As principais são: Eureca, Lisboa, Vilafranca, Genova,Femminello,Interdonato,Monachello,Berna,Mesero,Siciliano e muitas outras.

Limas - São mais cultivadas em regiões de clima subtropical e tropical e utilizadas da mesma forma que os limões. No Brasil, as limas ácidas são vulgarmente chamadas de limão.Entre elas destacam-se o Galego  e o Taiti.

 

PORTA - ENXERTOS - A enxertia, pelas muitas vantagens que apresenta, é o método mais utilizado para propagação dos citros. Dentre elas devem ser citadas a obtenção de plantas uniformes e praticamente idênticas à planta mãe; a precocidade de início de produção e, com o emprego de porta-enxertos adequados, o aumento da produtividade, pelo aumento da produção das plantas , pela obtenção de frutas de melhor qualidade e pela maior resistência das plantas, ou tolerância as condições desfavoráveis de clima, solo, pragas e moléstias.

O limão cravo, também conhecido pelos nomes de Rosa, Bravo,,Vinagre,Vermelho,etc., é praticamente o único  porta-enxerto sobre o qual foi construída a citricultura brasileira.

A principal inconveniência da utilização de um único porta-enxerto já foi demonstrada pela virose Tristeza que ,na década de 40, destruiu quase toda a citricultura brasileira, então apoiada sobre o porta-enxerto laranja azeda. Mais recentemente  uma nova doença, o Declínio dos Citros , constatada na década de 70, vem causando a morte de milhares de plantas enxertadas sobre o limão cravo.

A pesquisa e a experimentação vêm mostrando que a utilização de outros porta-enxertos, como as tangerinas Cleópatra, Sunki e o trifoliata, permitem obter frutos de melhor qualidade e maturação mais tardia que podem resultar em benefícios financeiros ao produtor.

 

PROPAGAÇÃO DOS CITROS - A muda cítrica de alta qualidade é o insumo mais importante na implantação de um pomar comercial.O caráter perene da cultura dos citros transforma a escolha da muda  na chave do sucesso ou fracasso no plantio de um laranjal.

 

NOVAS REGRAS PARA PRODUÇÃO DE MUDAS CÍTRICAS - A partir de 1º de julho/2000 entra em vigor a primeira das 3  novas regras para a produção de mudas em viveiros, determinadas pela SECRETARIA DA AGRICULTURA E ABASTECIMENTO DO ESTADO DE SÃO PAULO.

Ela estabelece que as sementeiras  para produção de porta-enxertos de citros deverão ser instaladas em ambiente telado, que evita a entrada de insetos transmissores  de pragas e doenças.

As outras regras seguem a mesma linha : a Segunda define que a partir de 1º de janeiro de 2001  a Secretaria só fará o registro de viveiros que produzem mudas cítricas se ele estiver instalado em uma estufa e a Terceira proíbe a partir de 2003, em todo território do estado de São Paulo o comércio e transporte de porta-enxerto e mudas cítricas produzidas em viveiros abertos, coibindo assim a entrada de mudas de viveiros abertos vindas de outros estados.

 

 

USO DE ESTUFAS OU CASA DE VEGETAÇÃO PARA FORMAÇÃO DE PORTA-ENXERTOS DE CITROS

 

Estufa - Galpão onde as paredes e o teto são plásticos,com a finalidade de proteger as culturas instaladas, permitindo a entrada da luz solar.

Vantagens: - Proteção da cultura  a altas e baixas temperaturas, chuvas em excesso, ventos frios e fortes, geadas, granizo etc.

                    - Precocidade na formação - da semeadura à repicagem em 90 dias

                    - Melhor controle de pragas e doenças - Plantas mais vigorosas, maior resistência às doenças, proteção  física contra o ataque de pragas.

                    - Seleção prévia das plantas - elimina-se plantas mal formadas e/ou híbridos

                    - Economia de insumos - menor área para aplicação, com maior aproveitamento pelas plantas

                    - Economia de água - uma fonte de 3/4" é suficiente   

                    - Efeito estufa - temperatura, alguns graus a mais dentro da estufa durante a noite em relação ao exterior

                    - Facilidade de repicagem - não precisa de arrancamento nem seleção

                    - Alto índice de pegamento - não sente o transplante

                    - Quantidade de porta- enxertos - 529 plantas selecionadas por metro quadrado

 

 

MANEJO DE ESTUFAS COM TELAS E TUBETES

                  -PREPARO DO SUBSTRATO

                Composição - Casca de pinos queimada + vermiculita = 96% ( Plantimax)

                                                 - orgânico humificado                              =    3%

                                                 - Super fosfato simples                            =  0,5%

                                                  - Calcário dolomitico                              =   0,5%

                                                 - Sulfato de zinco                                    =  40g/100litros

O adubo fosfatado, o calcário e sulfato de zinco, podem ser substituído por 0,3% de termofosfato magnesiano   

                    - ENCHIMENTO DOS TUBETES  - Homogeneizar o substrato, adicionando água. 100 litros da mistura são suficientes para encher 1700 tubetes.

                    - PREPARO DO TUBETE PARA SEMEADURA - Com o tubete cheio, apertar o substrato à 1,5 cm da borda e leva-lo para o telado da estufa. 1 metro quadrado de estufa contém 529 células para receber os tubetes.

                    - SEMEADURA - colocar a(s) semente(s) nos tubetes e cobrir com o mesmo substrato, fazendo leve compactação.

                                                - tangerinas -  1 semente por tubete

                                                - limão cravo - 2 ou 3 sementes por tubete

obs: - Utilizar sementes do ano ou armazenada a 6º C ou tratada com fungicida ( PCNB )

                    - REGAS ANTES DA GERMINAÇÃO - 1 vez por dia até pingar pelo orifício inferior do tubete

                    - TEMPERATURA ANTES DA GERMINAÇÃO - não ultrapassar 38º C, para não diminuir a germinação

                    - REGAS APÓS A GERMINAÇÃO -2 vezes por dia, de 5 a 8 mm cada

                    - TEMPERATURA - não ultrapassar 35ºC

                    - PRIMEIRA SELEÇÃO - aos 20 dias após a germinação, eliminando-se os híbridos, tubetes não germinados e plantas mal formadas, deixando-se apenas 1 por tubete.

                    - SEGUNDA SELEÇÃO - aos 50 dias da semeadura e serve para padronizar por altura e eliminar  algumas plantas fora de padrão.

                    - ACLIMATAÇÃO - aos 80 dias da semeadura, deixar as cortinas abertas dia e noite, suspender a nutrição e só manter as regas

                    - FITOSSANITÁRIO - Preventivo  - Fungicida e acaricida - inseticida se necessário.

                    - NUTRIÇÃO - iniciar logo após a primeira seleção e repetir 3 vezes por semana

                    - FERTILIZANTES UTILIZADOS - nitrogenados  - uréia ou nitro 25

                                                                                 - NPK - líquido - 12-06-06, 14-04-07

                                                                                 - micronutrientes - quelatizados completos

                    - QUANTIDADES E DOSAGENS -  usar 1,0 litro da solução por metro quadrado de tela

                                                                                  - uréia - 0,5% - nitro 25 - 1%

                                                                                  - NPK - 150 ml/100 litros de água

                                                                                  - micros - 150 ml/100 litros de água

OBS - Só utilizar nitrogenado quando apresentar deficiência visual de N

 

 

FORMAÇÃO DE MUDAS CÍTRICAS EM RECIPIENTES PLÁSTICOS -  

                    -Vantagens do sistema - seleção apurada dos cavalinhos

                                                    - Sanidade do cavalinhos

                                                    - Menor incidência de pragas e doenças

                                                    - Menor tempo para obtenção de mudas

                                                    - Maior volume de radicelas

                                                    - Melhor pegamento no plantio

                                                    - Menor nº de regas no pós plantio

                     - Escolha do local - Terreno plano próximo a uma fonte de água

                     - Montagem dos canteiros - Usar blocos de cimento ou cerâmica porosa

                     - Instalação do sistema de irrigação - Aspersão convencional ( fonte de água limpa )

                     - Aquisição do recipiente plástico - Reaproveitável - Citrospotes - piramidal ou cônico

                                                     - Dimensões mínimas - 20 a 30 cm de abertura por 30 a

                                                     -  40 cm de comprimento.

                                                     - Descartável - Sacos de polietileno preto.

                                                     - Pigmento - negro fumo

                                                     - espessura - 0,25 ou 0,30 mm

                                                     -  Diâmetro -      25 ou 30 cm

                                                     - Altura -           35 ou 40 cm

                    - Desinfecção do Substrato - Depois de misturado e homogeneizado, deve ser desinfectado com brometo de metila - 1 lata de 680 g por 3 metros cúbicos de substrato.

                    - Enchimento do Recipiente - não compactar muito o substrato, o rendimento é de 150 sc/dia/homem.

                    - Encanteiramento - Colocar em filas de até 4 recipientes.

                    - Transplante  e Condução - Segue-se os métodos convencionais

                    - Nutrição - Inciar 15 dias após o transplante: Formas líquidas 10 -04-07 ou 12-06-06 - 3 vezes por semana, na dose de 150 ml/100 litros de água, aplicando-se 1,0 litro/metro quadrado de canteiro.

                   Microelementos quelatizados - aplicar junto com a fórmula NPK, na dose de 100 ml/100 litros de água.

OBS. na  primeira aplicação da semana, adicionar Ca e Mg quelatizados na dose de 100 ml/100litros de água. Suspender a nutrição 20 dias antes do plantio.

                    - Plantio - Deve-se levar as mudas para o campo com 9 meses de recipiente ou 12 meses da semeadura ( muda palito). Cortar os recipientes longitudinalmente ( 2 cm de profundidade ) e transversalmente ( retirar 3 cm da base antes do plantio).

                    - Fitossanitário - Após repicagem, aplicar 0,5 g de temik - 150  por recipiente.Acaricidas, fungicidas e outros inseticidas só quando constatar a presença de pragas ou doenças.

                  Não usar Fosetyl Al e Metalaxyl

 

 

 

PREPARO DO SOLO

 

O preparo do solo para iniciar as atividades de implantação de um pomar requer muito cuidado, especialmente se ele nunca foi cultivado. Neste caso, há necessidade de desmatá-lo e locar as linhas onde serão feitas as leiras com os restos da derrubada, após a retirada da lenha e madeira utilizáveis. Ao se enleirar  tomar o cuidado para não arrastar a camada fértil do solo, operação essa que deve ser feita com garfos acoplados ao trator. A destoca deve ser perfeita para evitar problemas futuros com ataques de cupins ou fungos dos gêneros Rizoctonia e Armillaria, muito comuns em áreas  recém desbravadas.

Em geral duas arações profundas, seguidas de duas gradeações, são suficientes para se ter um pomar em condições de plantio.Mas ainda não se deve plantar os citros, mas fazer pelo menos dois  cultivos de culturas anuais, de preferência com soja, com o intuito de corrigir o solo e elevar o nível de fósforo para o teor médio

Outro item de fundamental importância  nesta fase é o estudo da compactação do solo e a consequente subsolagem, com o intuito de romper impedimentos físicos que, porventura , existam até cera de 60-65 cm de profundidade, distancia que os equipamentos atuais conseguem atingir.

Quando for necessário a renovação de pomares, o procedimento a ser adotado é o mesmo que para terrenos com mato, dando especial atenção ap problema da compactação, podendo em muitos casos dispensar o plantio prévio de culturas anuais.

 

 

RECOMENDAÇÕES DE CALAGEM E ADUBAÇÃO

 

 

Calagem - A faixa adequada de saturação por bases para citros ( V% ) encontra-se entre 60 e 70%. Quando a saturação estiver dentro dessa faixa, não é recomendada a calagem. Caso ela esteja abaixo de 60%, deve ser calculada a necessidade de calagem usando a fórmula a seguir:     NC= CTC.(V2-V1)/PRNT           

                                                                                                                                                        

 

ADUBAÇÃO DE PLANTIO

 

As doses de fósforo indicadas para o plantio de citros, de acordo com os níveis do nutriente no solo, extraído pelo método da resina vão de 20 a 80 g/metro linear de sulco.

 

resultado da análise                                                                g/metro linear de sulco

  0-6     microgramas                                                                           80

 7-15   microgramas                                                                           60 

16-40  microgramas                                                                           40

  > 40   microgramas                                                                           20

 

Além do calcário e do fósforo, é recomendado aplicar duas gramas de zinco por metro linear de sulco seja na forma de sulfato ou óxido de zinco, ou de fritas.

 

Tanto a adubação de formação, como a adubação de produção, deve ser  feita levando em consideração os resultados obtidos pela análise do solo.

 

 

 

SISTEMAS DE PLANTIO                                                                                                                               

 

 

O sistema de plantio a ser adotado será estudado para cada talhão, em função das características próprias de cada um, como declividade,uniformidade, etc. Temos, basicamente, dois tipos de plantio: plantio em linhas retas e plantio em nível.

 

ESPAÇAMENTO

 

O espaçamento a ser utilizado depende de muitos fatores:

 

- as espécies de citros têm desenvolvimentos diferentes;

- diferentes porta-enxertos induzem diferenças significativas no volume da copa;

- a fertilidade e textura do solo  interferem significativamente no porte e vigor das plantas

- o clima interfere  para limitar ou desenvolver as plantas.

- a tecnologia a ser adotada, com por exemplo, o uso de irrigação interfere no desenvolvimento das plantas.

 

Com o uso do bom senso podemos resolver o problema do  espaçamento. Assim recomedamos que o produtor avalie suas próprias condições locais e procure plantas adultas com mais de 15 anos, representativas das combinações a utilizar medindo seu diâmetro. De posse de tais dados,basta adicionar 2,5 m para se ter o espaçamento da entrelinha e multiplicar por 0,85 para o espaçamento entre plantas.

 

PREPARO DAS COVAS E PLANTIO

 

O preparo das covas é feita com as operações de adubação da cova,ou como é recomendação mais recente, dos sulcos, aplicando-se o adubo necessário, o calcário e a matéria orgânica e misturando-os muito bem com o solo.Em seguida o local das covas pode ser fechado e mantido estaqueado até a data do plantio propriamente dito.

Os citros podem ser plantados em qualquer época do ano, desde que haja disponibilidade de mudas e elas possam ser adequadamente molhadas.

Imediatamente após o plantio, constrói-se uma coroa ao redor da planta, puxando a terra com uma enxada de forma a construir uma crista circular, distante cerca de 30 cm do tronco da muda.

O volume de água que se usa na irrigação feita imediatamente após o plantio é de 5 a10 litros por muda.

 

 

TRATOS CULTURAIS

 

Controle integrado das plantas daninhas -  É a utilização conjunta de métodos disponíveis no manejo das plantas daninhas em um pomar de citros.

Um sistema integrado de métodos químico e mecânico já bastante utilizado e aceito pelos citricultores compreende:

- aplicação do herbicida em pós-emergência , associado aos de pré-emergência em faixas de 1 a 2  metros de largura de cada lado da planta de citros, que eliminaria as plantas existentes e evitaria a germinação das sementes na área tratada.

- controle do mato na entrelinha pela roçagem, no período chuvoso ( outubro a março ) e com uma gradagem superficial no período seco ( abril a setembro ).

 

 

 

 

Referencias Bibliográfica

Citricultura Brasileira - Segunda Edição

Ody Rodriguez

Flávio Viégas

Jorginho Pompeu Jr.

Antônio A.Amaro

Otávio R.Sempionato ( EECB)

  Home  |   Eventos  |   Notícias  |   Novidades  |   Receitas  |   Tempo  |   Custo de Produção  

  Meio Ambiente  |   Utilinks  |   Planejamento  |   Prêmios  |   Contate-nos  


Web Master respons?el - Pud@san
pudasan@agrobyte.com.br