Lagarta-rosca

 

(Agrotis ipsilon)

 

O adulto da Agrotis ipsilon é uma mariposa, geralmente de coloração marrom-escura, com áreas claras no primeiro par de asas e coloração clara, com as bordas escuras, no segundo par. O adulto mede cerca de 35 mm de envergadura. As posturas são feitas na parte aérea da planta. A lagarta desse inseto tem hábito noturno e se alimenta da haste da planta, provocando o seccionamento da mesma, que pode ser total quando as plantas tem até 20 cm de altura, pois ainda são muito tenras e finas, e parcial após esse período.

As lagartas completamente desenvolvidas medem cerca de 40 mm, são robustas, cilíndricas, lisas e com coloração variável, predominando o cinza-escuro. A fase larval dura cerca de 25 a 30 dias, transformando-se em pupa no próprio solo, de onde, após duas ou três semanas, emergem os adultos.

A lagarta abriga-se no solo, em volta das plantas recém-atacadas numa faixa lateral de 10 cm e numa profundidade em torno de 7 cm. Quando tocada, enrola-se, tomando o aspecto de uma rosca, daí a sua denominação.

Prejuízos: Quando as plantas de milho são pequenas com a idade máxima de 20 dias, as lagartas seccionam as plantas rente ao solo. Em estágios mais avançados de desenvolvimento da planta, as lagartas podem abrir galerias na base do colmo, provocando com esse tipo de ataque o aparecimento de estrias nas folhas, semelhantes às causadas por deficiência minerais. Este mesmo tipo de ataque pode levar a um sintoma conhecido como "coração morto".

Quando a planta já está com mais de 40 cm, a morte sucessiva de plantas devido a ação da praga, faz com que surja uma touceira de plantas totalmente improdutiva, que é o perfilhamento devido ao ataque da lagarta-rosca.

Segundo pesquisas, os prejuízos médios acarretados pela lagarta-rosca em algumas regiões, chegam a 7,2%, sendo que 3% é devido ao tipo de ataque que causa o "coração morto" e 4,2% devido ao perfilhamento.